©2008-2019 - Portal de Catequese Catequista Bruno Velasco.  Powered by Wix.com

O Líder e a Liderança


O líder se define de maneira essencial pela determinação firme de conduzir, de canalizar o esforço solidário de um grupamento humano, na consecução de um ideal comum, portanto, quem possui a capacidade de liderança, trata, sobretudo, de coadunar vontades e entusiasmos em torno de um projeto apreciável.


Porém, uma coisa é ter a capacidade de ser líder e outra bem diferente é ser líder de fato. Muitos de nós carregamos uma liderança embrionária, mas para efetivar essas potencialidades, precisamos superar esse grande percurso que vai do coração aos braços, do sentimento às ações, das boas idéias às práticas.


O líder não nasce, faz-se. Mas, não se trata de produzir um líder a toque de caixa, tal como na "Teoria do Microondas", ou seja: "Introduza nele o senhor medíocre e depois de quarenta segundos sairá dele, bem quentinho, Mister Líder!".


Não, é preciso lutar, trabalhar, é necessário ir palmilhando o caminho das dificuldades, dos contratempos e dos fracassos, assim, é que os ensinamentos teóricos são necessários, mas não são suficientes, para nos tornar líderes de uma hora para a outra, nem tão pouco, meia dúzias de participações nas Missas, no caso dos líderes pastorais.


Por outro lado, a liderança é necessária para a subsistência de uma comunidade, seja ela pequena ou grande, assim como, para a manutenção de sua ordem e eficácia. Outra consideração importante a fazer sobre o desafio de ser líder é com respeito à sedução que certamente a função, seja onde for que a exerçamos, pode nos causar; cabe portanto, ao líder não se deixar seduzir pela comum e fácil tentação do "estrelismo".


Ser líder de uma determinada pastoral, não significa subir a um pedestal de vaidade, exaltando o próprio ego; não representa uma promoção ou uma honra. Pelo contrário, ser líder implica ser um guia abnegado; a propósito, abnegação é satisfazer as necessidades dos outros, é morrer para si mesmo.


No campo da liderança pastoral, devemos voltar nosso olhar sempre para o 'autor e consumador de nossa fé, Cristo Jesus` (Hb 12, 2), pois Ele próprio nos disse ensinando-nos: "Não vim para ser servido, mas para servir"(Mt 20, 28). Eis, portanto, o nosso maior exemplo de liderança em todos os tempos.

Ser líder é pôr de lado sua vontade e necessidades e buscar realizar o maior bem para os outros, sem deixar de primeiramente, experimentar em si mesmo, o que deseja que seus liderados experimentem, pois a coerência de suas ações e a sua autenticidade, certamente arrastará muito mais do que suas palavras.


Hoje em dia é cada vez maior na Igreja a necessidade do bons líderes, há na Igreja tanta necessidade de líderes quanto de santos, pois se olharmos para trás, os nossos santos ainda hoje são nossos maiores exemplos de liderança, vale lembrar um São Paulo, que aprendeu a liderar com humildade sofrendo terríveis perseguições; Santo Antônio Maria Zacaria, um homem à frente de seu tempo, a Beata Madre Tereza de Calcutá, João Paulo II, para ser mais atual, e tantos outros. Homens e mulheres que revolucionaram sua época e hoje ainda influenciam na fé, visto que contribuíram, enormemente, para a formação do que temos hoje, na Igreja.


E você, que foi chamado para liderar um grupo, um movimento, uma pastoral, um serviço na Igreja, chamado para contribuir com a Igreja no cumprimento de seu papel de ser "O germe do Reino de Deus" (Lumen Gentium Nº 5) e assim ajudar ao nosso Deus na implantação de seu Reino entre nós, não está animado a também fazer outro tanto ? A assumir essa responsabilidade?

Fazer esta pergunta, me faz lembrar de um jovem tímido, chamado Jeremias, que diante do chamado do Senhor, gaguejou temeroso e inibido, como tantos outros personagens bíblicos que conhecemos, este jovem se achava incapaz, se dizia ser uma criança; mas, o Senhor o chamou, o tornou forte, invencível, dando-lhe poder sobre todas as nações e caminhando com ele; assim foi que Jeremias se converteu num verdadeiro líder do seu tempo, pois soube dizer sim ao Senhor.


Pensando nisso, você agora deveria erguer-se decididamente e responder ao Senhor, com voz forte e destemida: "Eis-me aqui Senhor, envia-me a mim" (Is 6, 8).

Mas, para que possamos canalizar nossas energias para tal finalidade se faz necessário ao líder pastoral ou ao coordenador, se assim preferir, possuir alguns requisitos, que à medida que crescem em nós, vai configurando nossa personalidade de líder. É desses requisitos, ou qualidades essenciais, que tratarei no próximo artigo. Tenham todos um Santo e Feliz Tempo Pascal.


Dom Geraldo Magela


15 visualizações